Cotidiano, Kiev

Projeto 6 on 6 – Березень і Квітень (Bérezen i Kvíten)

May 6, 2017
_DSF0668

Sério mesmo que já estamos em maio? Estou impressionada que o ano já está quase na metade! Bom, mês passado eu não postei no dia 6 por pura desorganização. Fiquei entretida com os preparativos da viagem para a Alemanha e acabei me enrolando com a postagem do 6 on 6. Portanto, coloquei nesse post duas fotinhas que representam o mês de março (Березень) para compensar.

Continue Reading…

Viagens

Road Trip Alemanha – Frankfurt (parte 1)

May 4, 2017
_DSF0234

A última parada dessa road trip pela Alemanha foi Frankfurt, onde passamos um fim de semana. Resolvi dividir o relato em duas partes para o post não ficar grande demais. Bom, chegamos numa sexta-feira e fomos direto para o aeroporto para devolver o carro que havíamos alugado. De lá pegamos o trem para a estação central e ficamos hospedados ali pertinho. Fizemos o check in e fomos procurar um lugar para comer. A rua que fica logo em frente a estação central é lotada de restaurantes indianos, asiáticos, comida do oriente médio… É um retrato da quantidade de imigrantes que moram em Frankfurt. Acabamos escolhendo o Walon & Rosetti e quando chegamos não tinha ninguém e ficamos meio na dúvida se eles estavam servindo comida, mas estavam e o rapaz que nos atendeu foi super atencioso. Comi uma tortilla vegetariana incrível! Claro que esqueci de fazer foto, mas lembrei de registrar a placa do bar/restaurante que é bem pequenininha, então tem que prestar bastante atenção para encontrar esse lugar.

Não fizemos nada à noite, preferimos descansar e explorar os arredores no dia seguinte. Os dias que passamos lá foram cinzas e frios, mas tivemos sorte de não pegar chuva forte, apenas alguns chuviscos. A primeira coisa que fizemos no dia seguinte foi comprar pão de queijo no mercado de produtos brasileiros Ponto Brasil & Latino.  Inclusive, já preparamos uma fornada para a nossa professora de ucraniano provar essa maravilhosa iguaria brasileira e ela amou! Bom, assunto de extrema importância resolvido, seguimos para o Kleinmarkethalle para ver os produtos disponíveis por lá e comparar preços e gostei de ver que é possível encontrar de tudo. Inclusive dá pra comer por lá também, pois há alguns lugares que servem pratos. Acho que cidades onde há uma quantidade grande de imigrantes costumam ter uma boa variedade de alimentos.

Continue Reading…

Viagens

Road Trip Alemanha – Burg Eltz

May 1, 2017
_DSF0145

No caminho entre Cologne e Frankfurt fizemos uma parada num cenário digno de conto de fadas. Durante o planejamento dessa road trip, dei uma boa lida no blog da Ana para ver o que dava para incluir no nosso roteiro e foi assim que fomos parar no Burg Eltz (clique aqui para ler sobre o castelo e ver as fotos maravilhosas da Ana). Ele não estava certinho no nosso caminho, tivemos que dar uma pequena desviada para chegar lá, mas eu sabia que valeria a pena. Tanto que foi necessário um post só sobre ele devido à quantidade de fotos que fizemos lá. E olha que fomos numa sexta-feira, em pleno feriado de Páscoa, ou seja, estava LO-TA-DO. Por isso não pagamos para entrar no castelo, já que a fila era enorme. Visitamos apenas a parte externa que é gratuita.

Continue Reading…

Viagens

Road Trip Alemanha – Cologne (Köln)

April 28, 2017
_DSF0886

Chegamos à Cologne, deixamos o carro em um estacionamento pago, pegamos nossas mochilas e seguimos para o hotel para fazer o check in e procurar um lugar para almoçar. Escolhemos um café muito fofo onde eu comi um sanduíche de camembert com geléia e bebi um suco de laranja, mas eu não lembro o nome do café e nem tirei fotos porque eu sou uma blogueira meio fajuta mesmo, sorry. Após o almoço, fomos a uma loja de equipamentos fotográficos para comprar uma câmera nova. Na verdade, compramos só o corpo porque as lentes são as mesmas. Com exceção das fotos de analógica e de celular que às vezes aparecem por aqui, todas as fotos do blog eram feitas com uma Fujifilm X-E1. Ela já tem 4 anos e os modelos novos são bem mais avançados e possuem funções que ela não possui. Levando em consideração que poderíamos pegar o reembolso dos impostos, achamos que esta seria uma boa oportunidade para investir numa câmera nova. Então, a partir desse post as fotos estarão misturadas, algumas feitas com a X-E1 e outras com a X-T20.

Depois de comprar a câmera, passeamos um pouco pela cidade e visitamos a catedral, o grande cartão postal da cidade. Eu já tinha lido no blog da Taís e da Paula que ela é grande, mas foto nenhuma faz justiça a real grandiosidade dessa construção, só vendo pessoalmente mesmo. Eu não costumo visitar igrejas em viagens, mas lógico que para essa eu abri uma exceção. Aliás, acabei visitando duas vezes porque no dia seguinte fizemos um Free walking tour e entramos nela novamente. A guia explicou que o vitral da 6ª foto abaixo foi criado pelo artista contemporâneo alemão Gerhard Richter e algumas pessoas gostam e outras odeiam. Ela explicou que quando o sol bate no vitral, os raios coloridos refletem bem no meio do altar da catedral. Como estava um dia nublado, não conseguimos ver nada de raios coloridos.

Continue Reading…

Viagens

Road Trip Alemanha – Nürburg e Bonn

April 20, 2017
_DSF0788

Quem é vivo sempre aparece, não é mesmo? Dessa vez o sumiço foi por motivo de: VI-A-GEM!! \o/\o/\o/ O destino da vez foi a Alemanha e essa foi a segunda vez que visitei o país. A primeira visita aconteceu há dois anos quando fui para Berlin. Tem posts aqui no blog sobre essa viagem. Essa road trip começou e terminou em Frankfurt. Aterrizamos e fomos direto para a locadora para pegar o carro e seguir para Nürburg. O motivo que nos levou a essa pequena cidade se chama Nürburgring, uma pista de corrida onde o piloto de Fórmula 1 Niki Lauda quase perdeu a vida em 1976. O GP da Fórmula 1 não é mais realizado nesse circuito, mas num outro de mesmo nome criado posteriormente e que fica bem próximo ao original. Em Nürburgring Nordschleife acontecem os track days, quando os pilotos amadores podem alugar um carro para correr por sua própria conta e risco.

Continue Reading…

Cotidiano, Cultura

Minha primeira pêssanka

April 1, 2017
_DSF0606

Essa semana participei de um workshop de pêssanka (писанка) que são os ovos de Páscoa ucranianos. Comentei nesse post que na Ucrânia não existe o costume de presentear com ovos de chocolate, mas sim com esses ovinhos pintados à mão. A professora Zoya Viktorovna Stashuk explicou um pouco sobre a história e os símbolos da pêssanka e ensinou a técnica de pintura dos ovinhos.

O nome писанка deriva do verbo писати (pissati) que significa escrever. Cada símbolo escrito no ovinho tem um significado e o próprio ovo é o símbolo da vida. Cada pêssanka carrega uma mensagem escrita por meio dos símbolos pintados à mão. E todos os símbolos têm significados positivos, então quando você presenteia uma pessoa querida com uma pêssanka, você entrega a ela uma mensagem positiva.

Continue Reading…

Kiev, Viagens

O que fazer na Ucrânia? – Guia de Posts

March 27, 2017
CNV000036

De vez em quando recebo perguntas sobre o que fazer em Kiev e resolvir compilar nesse post o que eu já escrevi sobre os lugares que já visitei em Kiev e em outras cidades da Ucrânia. Espero que seja útil para quem pretende vir pra cá.

Kiev

Você pode clicar na categoria Kiev no topo da página e ler todos os posts que já escrevi sobre a cidade, mas separei aqui embaixo os principais pontos turísticos a serem visitados na capital ucraniana. Você pode escolher o que fazer de acordo com a quantidade de dias que for ficar na cidade. Para conhecer tudo com calma, recomendo ficar de 4 a 5 dias. Se quiser ir a Chernobyl, vale a pena ficar 7 dias.

Continue Reading…

Cultura

A Vênus das Peles – Leopold von Sacher-Masoch

March 22, 2017
_DSF0546

Em fevereiro li mais um livro que tem relação com a Ucrânia. O escritor Leopold von Sacher-Masoch nasceu em Lviv (que se chamava Lemberg) em 1836 e, nessa época, a cidade fazia parte do império Austro-Húngaro. Você pode nunca ter ouvido falar desse livro ou desse autor, mas com certeza conhece o termo masoquismo. Pois bem, esse é o tema central de “A vênus das peles”, porém ainda não existia um nome para essa tendência em 1870, ano de lançamento do livro que imortalizou Masoch. O psiquiatra Richard von Krafft-Ebing foi o responsável por criar o termo que deriva do nome de Masoch e seu trabalho repercutiu nos meios intelectuais e literários de todo o mundo ocidental. Em 1905, Freud publicou os “Três ensaios sobre a teoria da sexualidade” e usou o mesmo termo, popularizando-o de vez.

A história de Masoch também serviu de inspiração para a música “Venus in Furs” da banda Velvet Underground. Essa música é uma das faixas do famoso “disco da banana” e esse vinil lindo da foto abaixo foi comprado aqui em Kiev. Confesso que só fui descobrir a conexão entre o livro e a música depois que visitei o bar temático que leva o nome do autor e fica em Lviv, sua cidade natal. Aí pronto, me senti na obrigação de ler o livro neh!

Continue Reading…

Cotidiano, Kiev

Projeto 6 on 6 – Лютий

March 7, 2017
Processed with VSCO with a6 preset

Opa, opa, chegando atrasada mais uma vez, mas marcando presença. Лютий (Fevereiro) foi o último mês do inverno e eu percebi que não peguei na câmera para fotografar. Tive que apelar para as pouquíssimas fotos que fiz com o celular e, ainda assim, tive que roubar e colocar umas fotos feitas em março para completar as 6 fotos para o projeto 6 on 6. Espero que agora em março com as temperaturas mais altas (entre 10 e 15 graus) eu consiga fotografar mais. Pode vir primavera!

Continue Reading…

Cultura

Vozes de Tchernóbil – Svetlana Aleksiévitch

February 21, 2017
_DSF7207

Mês passado li o aclamado livro da jornalista Svetlana Aleksiévitch, vencedora do Prêmio Nobel de Literatura de 2015. Ela nasceu na Ucrânia em 1948, mas viveu boa parte da sua vida na Belarús (ou Bielorrússia). O livro traz depoimentos de pessoas que tiveram suas vidas completamente transformadas pelo acidente nuclear ocorrido em abril de 1986. Em 2016, a editora Companhia das Letras o publicou pela primeira vez no Brasil e eu tenho algumas críticas a fazer a essa edição. Me pareceu que a editora quis pegar carona no hype do Nobel e publicou o livro sem atualizações, o que induz a um raciocínio equivocado por parte dos leitores. A primeira publicação de Vozes de Tchernóbil é de 1997, ou seja, a edição brasileira foi publicada quase 20 anos depois e, de todas as resenhas que assisti no You Tube, nenhuma mencionou isso. Convenhamos que em 20 anos muitas coisas aconteceram, não é mesmo?

Provavelmente, muitas pessoas que foram entrevistadas pela autora nem estão mais vivas. A nota histórica que abre o livro está tão desatualizada que se torna completamente desnecessária. O projeto do abrigo para cobrir o reator número 4 citado nessa nota ficou pronto em novembro do ano passado (o vídeo abaixo é um documentário da BBC sobre a construção do abrigo) e não há nenhuma menção sobre isso. Daí em muitas resenhas que assisti as pessoas falam como se o reator estivesse lá abandonado com a mesma cobertura construída às pressas em 1986. A editora simplesmente traduziu o livro do jeitinho que ele foi publicado em 1997 e acrescentou somente o discurso que a autora fez na cerimônia do Prêmio Nobel em dezembro de 2015. Acho que um livro de não-ficção merece um trabalho mais cuidadoso no que diz respeito a notas mais esclarecedoras e atualizadas.

Continue Reading…