Cultura, Viagens

Uma semana em Moscou – Considerações Finais

December 11, 2018

Antes que o ano acabe e as minhas memórias sobre essa viagem se desbotem completamente, deixarei aqui registradas mais algumas fotos e pensamentos sobre a semana que passei na capital russa em maio desse ano. Bom, escrevo esse post com um certo receio, já que a invasão do blog aconteceu logo após eu ter liberado o post sobre os museus que visitei em Moscou. Coincidência? Não sei, mas sei que a Rússia é conhecida por cyber attacks, bots e coisas do tipo, então vai saber neh?

Esse mesmo receio me acompanhou durante a viagem, já que meu passaporte é cheio de carimbo da Ucrânia e os dois países encontram-se em conflito desde 2014. Inclusive, por conta do conflito, não há mais voos direto de Kiev para Moscou. Portanto, nosso voo fazia conexão na Bielorússia e achei bem estranho que a imigração é feita em Minsk, não em Moscou. Tem um guichê com a placa “Federação Russa” no aeroporto mega soviético da capital da Bielorússia e a funcionária não fez muitas perguntas antes de carimbar nossos passaportes.

Como o marido estava a serviço, tínhamos direito a um motorista que nos buscou no aeroporto. Mas tinha mais gente chegando por volta do mesmo horário, então tivemos que esperar por eles no aeroporto. Daí resolvemos jantar num restaurante por lá mesmo enquanto aguardávamos as outras pessoas chegarem para o motorista nos levar para o centro. Para a nossa surpresa, uma música da artista ucraniana Onuka fazia parte da playlist que estava tocando no restaurante. Por essa eu realmente não esperava!

O lugar que estava no topo da minha lista de curiosidades era o mausoléu do Lênin, mas voltei para a casa com a frustração de não ver o corpinho embalsamado do rapaz. 🙁 Chegamos na capital no dia 11 de maio e no dia 09 de maio comemora-se o Dia da Vitória. Aqui em Kiev essa comemoração é bem murcha porque os ucranianos vêm evitando esse enaltecimento da vitória da Segunda Guerra Mundial, mas na Rússia é motivo de muito orgulho, então a praça vermelha ainda estava cheia de arquibancadas por conta dos desfiles do dia 09, por isso o acesso ao mausoléu do Lênin estava impedido. Ainda voltei lá num outro dia, mas continuava fechado.

Quem acompanha o blog, já sabe que gosto de uns assuntos mórbidos e quando estava montando meu roteiro, acabei descobrindo o canal da Caitlin Doughty e ela tem um vídeo só sobre o corpo icônico de Lênin. Levando em consideração que ele faleceu em 1924 e o corpo embalsamado continua lá até hoje, claro que esse tema merecia um vídeo em um canal que fala sobre morte. De acordo com Caitlin, a cada 18 meses o corpo de Lênin é levado a um laboratório para que o processo de preservação seja feito e eu acho que acabei indo bem nesse período, fuén, fuén… Na real, menos de 23% do corpo é de fato do Lênin porque o resto obviamente teve que ser substituído. Essa preservação custa U$ 200.000,00 por ano aos cofres públicos russos. Lógico que fiz questão de confirmar todas essas informações com a guia do Free Walking Tour. Aliás, confirmei essa e várias outras informações com ela, mas vou preservar este bloguito de assuntos mais polêmicos.

Achei pelo menos uma estátua do rapaz em um dos meus passeios pela capital (aqui na Ucrânia não tem mais). Logo depois que fiz essa foto, apareceram uns policiais e eu tratei de apertar meu passo e sair dali rapidinho porque com a polícia russa não se brinca. Me surpreende que a Dani Noce e Paulo Cuenca tiveram coragem de levantar um drone em plena praça vermelha do lado do Kremlin. Lógico que brotaram uns policiais mais do que depressa e eles deram sorte de não ter acontecido nada mais grave. Na boa, eles riram na cara do perigo viu… Enfim, depois farei um post sobre o que aconteceu com as estátuas do Lênin aqui na Ucrânia.

Maio é definitivamente uma boa época para visitar Moscou e eu fiz a foto acima para registrar essa castanheira que aparece na primavera aqui em Kiev também. Fiquei feliz ao perceber que acabei registrando o senhor de vermelho parecendo um papai noel (agachado ali à direita). Ele estava vendendo o souvenir que acho mais fofo e comprei dois para morarem com os que eu já tinha aqui da Ucrânia. Pelo menos na minha casa as duas nações precisam conviver em paz na mesma estante.

Fiz a foto abaixo por conta da saia da moça que me chamou atenção porque eu já vi esse mesmo tipo de saia sendo usada aqui em Kiev. É moda essa saia de filó, gente? Ou é coisa do leste europeu? Acabei flagrando acidentalmente o momento que uma senhora caiu e uma outra moça estava ajudando ela a levantar. Tudo aconteceu muito rápido e só depois que eu tinha clicado, foi que percebi o que tinha acontecido.

Moscou é essa cidade onde você encontra arte assim, numa parede na rua e dentro das igrejas também, claro. Porém, stree art contemporânea, só vi a do Kobra mesmo. A Rússia não é muito chegada a uma subversão, como bem sabemos.

Quando o marido não está presente para tirar foto minha, a gente se vira com o timer e a mureta da catedral porque não fico andando com tripé. Esquemas tabajara são comigo mesmo! A expressão não ficou das melhores, mas eu não estava com paciência para fazer um milhão de tentativas. Desculpaê.

Nos primeiros dias, eu estava com medo de falar ucraniano e procurava falar sempre em inglês, só que acabei soltando umas palavrinhas acidentalmente. Como não houve nenhuma reação hostil, fui ganhando confiança e no fim eu já estava soltando umas palavras em ucraniano sem medo. Acho que as pessoas comuns não estão muito preocupadas com tretas políticas. Ou então, elas percebiam que eu era estrangeira e por isso eram mais tolerantes.

Tanta coisa aconteceu depois dessa viagem… Teve a Copa, que eu assisti no Brasil, teve brasileiros fazendo merda na Rússia (quem lembra?), teve meme do rapaz russo, teve protesto das Pussy Riot em um dos jogos e agora novas tretas entre Rússia e Ucrânia estão acontecendo. Fora todo o processo e resultado das eleições no Brasil repleto de desinformação sobre comunismo, socialismo, marxismo, União Soviética, Stálin, Hitler, nazismo, fascismo e etc se espalhando pela internet… Que fase hein!

Essa última foto foi feita no caminho para o Museu do Bulgákov, autor de “O mestre e Margarida”. A escultura tem tudo a ver com a história, que se passa em Moscou. A obra inspirou um dos grandes clássicos do rock ‘n’ roll e é com os versos dessa música que eu finalizo esse post: “Pleased to meet you, hope you guess my name / But what’s puzzling you is the nature of my game”. A arte ensina muito e traz questionamentos que não são interessantes para quem tem intenção de oprimir. É bom ficar atento às segundas intenções dos ditos “cidadãos de bem”. Não é à toa que Bulgákov escolheu a seguinte citação do Fausto para abrir o livro: “… quem és afinal? – Sou parte da força que eternamente deseja o mal e eternamente faz o bem.”

 

You Might Also Like

14 Comments

  • Reply Stephanie Ferreira December 11, 2018 at 3:43 pm

    Nunca tinha lido uma experiencia de viagem para Moscou tão bacana assim, eu não tinha ideia que o corpo do Lenin esta lá embalsado para visitar ou no caso, 23% do corpo dele.
    E como a capital da Rússica é linda né, os predios, as cores, as artes… Gente que lugar incrível ♥

  • Reply Sandra December 11, 2018 at 10:45 pm

    Olá Alê! É pena não teres visto o corpo do Lenine… pois apesar de ser uma coisa muito rápida uma vez que não se pode parar, é realmente incrível como passado tantos anos ele parece ainda estar a dormir ali deitado. O Lenine está por todo o lado nessa cidade. O comunismo não deixou as melhores memórias nem na Rússia nem nos restantes países que faziam parte da URSS mas é curioso o facto de ainda se preservam tantos símbolos que remetem para essa época. Falaste na Copa (nós aqui em Portugal dizemos Mundial :p) e acho mesmo que isso abriu muito mais a cidade. Da primeira vez que estive em Moscovo em 2016, que nem foi assim há muito tempo não achei a cidade tão aberta como agora quando voltei recentemente. Antes nem o metro tinha indicações em inglês e agora já tem! Beijinhos *

    • Reply Alessandra Araújo December 24, 2018 at 9:49 pm

      Oi Sandra! Pois é, não deu. O fato de preservarem tantos símbolos da URSS tem um propósito além da memória histórica, se é que você me entende… Sim, eles se prepararam para receber os turistas e eu achei ótimo ter surgido a oportunidade de visitar justamente nas vésperas da copa do mundo.

  • Reply Ricardo December 12, 2018 at 5:45 pm

    Eu tenho muito vontade de conhecer a Russia, mas confesso que morro de medo. As suas fotos fazem a cidade parecem linda.

    • Reply Alessandra Araújo December 24, 2018 at 9:50 pm

      Só não tive tanto medo porque estava na véspera da copa e acho que seria muita burrice criar confusão com uma turista brasileira, não é mesmo? hahaha

  • Reply Gabi December 12, 2018 at 10:22 pm

    Post incrível. Eu também tinha como meta ver o defunto, e voltei sem hahaha. vai ficar pra próxima. Vc sabe que eles andam discutindo parar de embalsamar ele e enterrar de uma vez por conta dos custos? Por isso que eu queria garantir a visita quando fui, mas estava muita fila e muito frio, não rolou. E eu sou que nem você, não fico dando bobeira pro acaso hahaha.. toda vez que apareceu polícia, guardei o celular. Realmente, tem gente destemida no mundo, mas não sou eu. Adorei as fotos, principalmente a das mulheres com a senhorinha caindo e tal… MULHERES… vivendo a vida e tal.. Mas inegavelmente, a presença feminina me apetece muito mais!
    Adoro que você ta mega ativa nesse blog, porque adoro seus textos, suas fotos <3

    • Reply Alessandra Araújo December 24, 2018 at 10:04 pm

      A guia falou dessa controvérsia aí, mas até maio nada tinha sido decidido ainda. Eu acho que ficarei sem ver mesmo, mas tudo bem. Pois é menina, a fama da polícia russa não é das melhores, então melhor não dar chance neh. Tanto que o protesto da pussy riot foi justamente com os membros vestidos de policiais. Mulheres caem, mas levantam com a ajuda das amigas. Ando cheia das ideias aqui, mas vou ter que esperar os problemas do blog serem resolvidos pra poder publicar. Obrigada pelo apoio, gatona!

  • Reply Taís December 13, 2018 at 3:58 am

    Eu amo demais seus relatos de viagens, Alê e esses da Russia tão sensacionais. Gostei muito do post e como sempre, babando muito nessas suas fotos, achei demais o click das mulheres e bem da hora uma outra mulher ajudando a senhorinha. Que timing! haha
    Sempre saio do seu post com aquele sentimento de que aprendi algo novo, dessa vez foi esse tanto de dinheiro pra preservar o corpo de Lenin, não fazia ideia!

    • Reply Alessandra Araújo December 24, 2018 at 10:09 pm

      Analisei várias coisas durante essa viagem, mas infelizmente não dá pra registrar tudo aqui no blog. O click das mulheres foi pra mim um desses momentos mágicos eternizados. O universo joga no meu time às vezes. Fico tão feliz quando aprendo algo e passo pra frente e outras pessoas aprendem junto comigo! Obrigada por me dar esse feedback porque faz valer a pena o trabalho que dá pesquisar, fotografar, montar os posts e revisar. Beijos!

  • Reply Renata January 1, 2019 at 9:26 pm

    Oi Alessandra! É a primeira vez que venho ao seu blog e já fiquei apaixonada por esse lugar. Sério.
    Adoro acompanhar blogs de viagem e ver as fotos dos lugares me deixa muito animada junto com o texto, ahaha. Suas fotos são lindas!!
    E sim, aquela saia está na moda por aqui também viu? (e que timing é esse de pegar até o acidente da senhorinha…)

    Feliz ano novo pra ti. Espero acompanhar muitos posts por aqui em 2019 :))
    Rivière du Souvenir

    • Reply Alessandra January 10, 2019 at 3:53 pm

      Oi Renata, seja bem vinda! Obrigada pelo elogio e pela informação sobre a saia. Não sou de acompanhar a modas, então achei curioso ver a mesma saia em lugares diferentes. Feliz ano novo pra você também! 🙂

  • Reply Dai Castro January 7, 2019 at 4:05 pm

    Eu consigo me sentir parte das suas experiências de viagem, lendo o seu texto! Acho muito bacana a maneira com que você nos apresenta os fatos e explica o contexto das fotos! As questões políticas entre a Rússia e a Ucrânia estão mesmo tensas, eu também teria bastante receito em falar o idioma por lá uma vez que a gente não tem ideia de como será a reação do outro.
    Eu não fazia ideia desses detalhes sobre o corpo do lenin, que coisa mais doida haha! Mas confesso que acho interessante esses assuntos, pelo menos eu tenho curiosidade em saber haha Só sei que preciso ler os clássicos russos para “tentar” conhecer um pouco mais dessa nação!
    Um beijo 🙂

    • Reply Alessandra January 10, 2019 at 3:55 pm

      Que legal, Dai! Minha intenção é essa mesmo, fico feliz que tenho conseguido passar essa sensação de que quem lê está viajando comigo. Super recomendo os clássicos russos. Estou lendo aos poucos e de vez em quando compartilho a experiência aqui. Beijo!

    Leave a Reply