Cotidiano

Processos alternativos: Lumens

May 10, 2022

Uma das coisas que mais me encanta na fotografia, é a possibilidade de fazer experiências. Este blog é um grande laboratório das minhas experiências e este post é sobre a última que eu fiz. Uma amiga me deu de presente esses lumens há um tempão, mas só esse ano eu consegui me organizar para fazer. O sol é um elemento essencial para o sucesso deste processo alternativo de impressão, só que eu vivo numa cidade onde não tem sol forte disponível assim o tempo todo, então tive que esperar o inverno acabar e a previsão do tempo me mostrar um belo dia ensolarado.

Lumen é um processo fotográfico que não precisa de câmera. Este processo foi utilizado por Henry Fox Talbot, John Herchel e Anna Atkins a partir de 1820. É um papel fotossensível que vai imprimir o que estiver em cima dele ao ser exposto à luz do sol. Nas instruções do pacote dos lumens dizia para colocar uma flor ou folha em cima do papel, porém eu tive a ideia de colocar um negativo para ver se a foto sairia impressa. Teria que ser um negativo preto e branco, o que facilitou um pouco a minha vida porque tenho poucos negativos preto e branco. Resolvi pegar só negativos de filme 120mm porque eles são maiores que os de filme 35mm.

É uma obra efêmera, não dura mais de 10 dias. A imagem inicial vai desbotando aos poucos até o papel se tornar escuro. Daí a gente usa a tecnologia para conservar as imagens. A que abre o post foi a que ficou melhor. Meus negativos estavam um pouco encurvados e, mesmo colocando um vidro de porta-retrato em cima, eles não ficaram super encostadinhos no papel, daí não imprimiu tão bem. Eu não tinha grandes expectativas, sabia que na teoria funcionaria, na prática, só tinha um jeito de descobrir.

Acabei escaneando colorido, mas talvez fosse melhor escanear na opção preto e branco. Não fiz nenhuma modificação, salvei do jeito que saiu do scanner. Portanto, as cores desses dois últimos lumens não foram decisão minha. A cor real dos lumens é a das duas primeiras fotos e eu não sei porquê o scanner decidiu mudar as cores nessas duas últimas imagens. Mas eu curto esses resultados inesperados, então deixei assim mesmo.

Todas essas fotos foram feitas pelo meu respectivo na Ucrânia com uma câmera Kiev 88. Comecei a fotografar com essa câmera no ano passado e ainda tenho vários filmes 120mm para gastar. Compartilharei aqui à medida que eu for revelando os filmes.

Me contem aí se vocês já conheciam esse processo alternativo de impressão e se já fizeram alguma experiência desse tipo, vou adorar saber. Escaneei umas polaroids e compartilharei aqui também em breve.

You Might Also Like

2 Comments

  • Reply Claudia Hi May 10, 2022 at 7:01 pm

    Nunca tinha ouvido falar! Achei super mágico haha Imagina, naquela época que foi criado, que avanço!

    A primeira foto ficou perfeita! Se não falasse, eu acharia que era um filtro do instagram. O que é meio ofensivo né? Desculpa. haha

    • Reply Alê May 11, 2022 at 3:52 pm

      Imagina a alegria deles ao descobrir que dava pra imprimir coisas com a luz do sol! Super mágico mesmo. hahahahahah eu ri aqui de você falando que chamar de filtro do instagram é ofensivo 😀

    Leave a Reply