Cotidiano

Como levar animais para o exterior – A Saga (Parte II)

October 11, 2014

PARTE II – A GREVE DA AIR FRANCE E AS BUROCRACIAS DESNECESSÁRIAS

Nesse meio tempo, eu já havia contratado um pintor para pintar o apartamento a partir do dia 24/09 e, no dia 29/09 estava agendada a vistoria para a entrega do apartamento. Portanto, no dia 24/09 eu teria que ir para a casa da minha mãe com as gatas, já que a tinta é prejudicial à saúde dos bichinhos. Manu chegaria em Brasília também no dia 24 à noite (ela mora em Florianópolis).

No dia 23/09 comecei a fazer as minhas malas. Percebi que não caberia tudo em uma mala só e tive que comprar outra. Minha ideia era viajar só com uma mala, uma mochila e as gatas. Doce ilusão. Por mais minimalista que eu seja, nunca caberia tudo apenas numa mala média. Lá fui eu no shopping, numa terça-feira à noite, para comprar uma mala.

Mal sabia eu que emoções fortes estavam por vir… Na quarta-feira de manhã, chegou o pintor e eu ainda estava terminando de arrumar as malas. Nesse mesmo dia, viria o frete para levar a cama e o restante das coisas que estavam no apartamento. E eu ainda tinha que conseguir colocar as gatas nas caixas de transporte para levá-las para a casa da minha mãe. Liguei para ela vir me ajudar e enquanto ela estava a caminho, fui na esquina tomar um café, já que não havia mais comida no apê.

Quando minha mãe chegou, fomos tentar colocar as gatas nas caixas. As duas estavam encolhidas debaixo da cama e não tinha quem fizesse elas saírem de lá. Tentei persuadir com comida molhada e quando Lola resolveu colocar a cabecinha para fora da cama, eu a puxei e sofri retaliação. Um belo de um arranhão na mão. Resolvi então colocar a Amélie que é mais tranquila. Não demorou nem 5 segundos. Como Lola estava muito nervosa, resolvi levar logo Amélie para a casa da minha mãe e depois voltaria para buscar a Lola.

Feito isso, voltei para buscar a fera. Acabou que só foi possível quando os caras do frete tiraram a cama e ela não teve mais onde se esconder. Por sorte, ela se enfiou entre a janela da cozinha e a tela de proteção e eu consegui encurralá-la com a caixa e ela não teve outra opção a não ser entrar. No carro, ela reclamou o caminho inteiro e a respiração estava super ofegante. Fiquei só imaginando o dia da viagem…

Muita gente me perguntou “e o remedinho?”, bom, eu testei o remedinho na Amélie umas semanas antes, mas não gostei nada do efeito. Ela ficou bêbada e visivelmente incomodada, não conseguia relaxar e dormir tranquilamente e levou umas 7 horas para passar o efeito. Fiquei muito preocupada, mas ela se recuperou depois. O remédio fez efeito em 5 minutos e, quando vi a Amélie naquele estado, resolvi que não daria pra Lola. O nome do remédio é Amplictil e eu dei a dosagem indicada pelo veterinário. Vale lembrar que o remédio pode dar efeito contrário e agitar mais o animal, ao invés de relaxar. Portanto, resolvi que não daria remédio nenhum para elas no dia da viagem.

Depois de chegar na casa da minha mãe, soltei a Lola no quarto junto com a Amélie e fui resolver coisas na rua. Apesar do escândalo, Lola é a que se adapta mais rápido. Virou a dona da casa no mesmo dia, mas a Amélie resolvia miar de madrugada todos os dias.

Como se não bastasse as burocracias que eu já estava tendo que enfrentar, marido me informa que era necessário legalizar o CZI no Ministério das Relações Exteriores – MRE e autenticar na Embaixada na Ucrânia. Lá fui eu correr atrás dessas coisas na véspera da viagem.

Mas o destino é sábio e na quinta-feira, um dia antes da viagem, a Air France entrou em contato avisando que nosso voo havia sido cancelado por conta da greve e a remarcação ficou para segunda-feira, dia 29/09. Até ofereceram um voo com 4 conexões, mas não aceitei por causa das gatas. Porém, a greve ainda não havia terminado oficialmente e eu fiquei acompanhando as notícias pela internet. A atendente da Air France me informou que entraria em contato comigo no domingo, 28/09 caso fosse necessário remarcar o voo novamente. Fiquei até feliz com o cancelamento porque assim teria mais tempo para resolver as pendências.

Na sexta-feira, fui ao MRE para legalizar o CZI, mas quando cheguei lá, a atendente me informou que o Setor de Legalizações só funciona até quinta-feira. Nisso eu já havia pago a taxa consular de R$ 160,00 para a autenticação do documento na Embaixada da Ucrânia. Expliquei toda a situação para a moça e ela resolveu meu problema. De lá, segui para a Embaixada e foi tudo tranquilo. Pronto, não era por falta de burocracia que eu ia deixar de entrar na Ucrânia com as gatas.

Beleza, teoricamente estava tudo certo para eu viajar na segunda-feira. MAAAS no domingo, a Air France entrou em contato para remarcar o voo novamente. A greve terminou oficialmente no domingo, 28/09 porém, leva alguns dias para os voos voltarem ao normal. Novamente me ofereceram voos com várias conexões e novamente eu neguei, daí só consegui vaga para o voo da sexta-feira, 03/10. Tudo bem, fiquei feliz de novo porque ainda não tinha conseguido resolver todas as pendências do apartamento com a imobiliária e agora ia dar tempo. Daí lembrei que no dia 03/10 o prazo de 10 dias do CZI já ia ter acabado e eu teria que trocá-lo. Além de ter que fazer todo o processo de legalizar e autenticar de novo. Tudo bem, eu sou brasileira e não desisto nunca.

Continua na PARTE III.

You Might Also Like

2 Comments

  • Reply Como levar animais para o exterior – A Saga (Parte I) – Um Novo Destino February 23, 2016 at 6:56 pm

    […] Continua na PARTE II. […]

  • Reply Primeiras impressões sobre Kiev – Um Novo Destino August 1, 2019 at 10:00 am

    […] assim como a Lola, eu até que me adapto rápido a novas […]

  • Leave a Reply