Cultura

O primeiro livro russo a gente nunca esquece

April 12, 2016

Uma das coisas que estava nos meus planos quando me mudei para cá era ler mais por diversão, já que em Brasília todo o meu tempo livre era dedicado a estudar para concursos. Estou conseguindo colocar esse plano em prática e resolvi que esse momento da minha vida era perfeito para mergulhar na literatura russa. Pois é, eu nunca tinha lido nenhum autor russo, mas nunca é tarde para começar, não é mesmo? “Mas você mora na Ucrânia, porque não escolheu um autor ucraniano?”. Bom, os autores ucranianos estão sim nos meus planos, porém acabei caindo na literatura russa meio que por acaso. Ano passado, resolvi assistir “Anna Karenina” e me decepcionei tanto com o filme que pensei “Não é possível que o livro seja tão ruim quanto essa adaptação”. E foi assim que resolvi comprar o livro e tirar minhas próprias conclusões sobre essa obra do renomado autor Leon Tolstói.

Clique abaixo para assistir o trailer do filme ao qual me referi no parágrafo anterior. Caso você queira assistir esse filme, já aviso que é por sua total conta e risco. Eu adoro assistir adaptações de livros e tinha gostado das adaptações de “Orgulho e Preconceito” e “Reparação”, ambos dirigidos pelo Joe Wright. Então, assisti “Anna Karenina” com boas expectativas e quebrei a cara bonito. Mas tudo bem, pelo menos o filme serviu como motivação para a leitura do livro.

Devo admitir que fazer uma adaptação boa de um livro com mais de 800 páginas não é uma tarefa fácil e acredito que seja por isso que o filme deixou a desejar. Fora que não é apenas uma história qualquer, o que torna o livro realmente interessante é a forma como Tolstói transmite sua mensagem por meio da história e isso não fica muito claro no filme. A história em si é apenas um romance bem dramático. A genialidade de Tolstói está na forma como ele constrói os personagens, como ele descreve as situações e a forma como esses personagens lidam com essas situações, o que eles pensam, o que eles sentem, o que eles dizem, as decisões que eles tomam e as consequências dessas decisões. Na minha opinião, o personagem mais importante do livro não é a Anna Karenina, mas sim o Levin que representa o próprio Tolstói. Quando percebi essa pegadinha do malandro, ele já subiu no meu conceito.

Bom, convenhamos que a própria vida do Tolstói já dá um livro bem interessante e ele usou certos acontecimentos de sua vida em suas histórias. Comentei nesse post que ele lutou na Guerra da Crimeia e relatou essa experiência no livro “Contos de Sevastopol”. Sua participação na guerra serviu para torná-lo um pacifista e o inspirou a escrever “Guerra e Paz”. Eu não li “Guerra e Paz”, mas assisti recentemente a adaptação da BBC e percebi que há algumas semelhanças com “Anna Karenina”. Essa sim é uma adaptação que vale a pena assistir e fica aqui a minha indicação pra vocês. Primeiro que não é um filme, mas uma mini-série com 6 episódios de 1 hora cada. Afinal de contas, não faz nenhum sentido uma adaptação em filme para um super calhamaço como o “Guerra e Paz”. Segundo que tem o Paul Dano no elenco, ator que eu admiro muito desde que assisti “Pequena Miss Sunshine”. E terceiro, é uma série da BBC que costuma mandar bem em suas produções.

Dentre as semelhanças que percebi entre as duas obras estão: a transmissão de uma mensagem por meio da história (que reflete a opinião do autor sobre o tema abordado), o contraponto entre a vida rural e a vida urbana, a superficialidade das pessoas que fazem parte da alta sociedade, os casamentos arranjados e suas consequências e a presença de um personagem que representa o próprio Tolstói (no caso de “Guerra e Paz” seria o Pierre). Claro que não darei spoiler sobre as histórias e sobre a mensagem do Tolstói, mas adianto que é muito bonito, me toca bastante e eu concordo plenamente.

Portanto, valeu muito a pena embarcar nessa jornada de ler um calhamaço da literatura russa. E se você tem medo de ler obras desse tipo por achar que pode ser uma leitura muito difícil, garanto que não é. Levei quatro meses para ler, mas sou do tipo que lê devagar e peguei uma versão em inglês. Confesso que há alguns trechos meio chatos onde não acontece nada, mas persista porque eles vão fazer sentido mais pra frente. E claro, tente enxergar as situações como uma pessoa que vivia no século XIX, do contrário, alguns comportamentos podem não fazer muito sentido ou parecer muito exagerados.

Me contem nos comentários se já assistiram essas adaptações e/ou leram essas obras e o que acharam. Espero que tenham gostado desse post. Tentarei fazer mais posts desse tipo daqui pra frente e contarei minhas experiências com os autores ucranianos também.

You Might Also Like

11 Comments

  • Reply Taís April 12, 2016 at 10:09 pm

    Alê, to aqui querendo ir conferir tudo que você indicou neste post, não sabia dessa adaptação de Guerra e Paz e fiquei morrendo de vontade de ver agora mesmo. Eu já queria ter começado a ler Anna Karenina faz tempo, mas sabe como é… sempre aparece alguma coisa pra gente ir adiando a coisa toda. Mas como você mesma disse, nunca é tarde pra começar.. e espero também cair nesse mundo da literatura russa que parece ser bem fascinante (e quem sabe na ucraniana também depois dos seus posts.. haha)
    Beijo :*

    • Reply Alessandra Araújo April 14, 2016 at 4:22 pm

      Sim, nunca é tarde para começar, Taís. Mas você pode começar por um menorzinho pra não assustar tanto hehe. Enquanto a motivação pra ler não chega, vai assistindo as adaptações pra ver se anima. Beijo.

  • Reply Bárbara Isenberg April 12, 2016 at 11:26 pm

    Gostei do seu post. Tenho pensado em ler alguns desses, mas nuncs tive coragem de começar…

    • Reply Alessandra Araújo April 14, 2016 at 4:24 pm

      Te dou a mesma dica que dei pra Taís, procure uma obra menor da literatura russa para começar e depois você pega o embalo. Obrigada pela visita!

  • Reply Izzy April 13, 2016 at 2:26 am

    Lindo post, Alê!

    Ainda vou me aventurar pela literatura russa, não sei quando ou por qual motivo, mas vou. Gostaria que Lyapunov fosse escritor ou poeta também, facilitaria a minha vida ao estudar Sistemas Lineares. : )

    E parabéns por ter terminado o livro! Tenho um certo medinho infundado de ler os russos, mas botei fé nas suas palavras. Ah, vou procurar essa série da BBC para assistir! Obrigada pelas indicações!

    • Reply Alessandra Araújo April 14, 2016 at 4:31 pm

      Essa galera do leste europeu deixou muitas contribuições para a humanidade neh? Eita povo inteligente! Muita gente tem medo de ler literatura russa, mas não tenha medo não, Izzy! Pra mim foi bom ter lido só agora porque tenho maturidade para entender coisas que certamente eu não entenderia 10 anos atrás. Mesmo tendo lido só um livro, agora tenho ideia de porquê Tolstói é tão admirado. Espero que assista e curta a série. Eu gostei bastante. 🙂

  • Reply Kaka Farias May 9, 2016 at 9:50 pm

    Oiii Alessandra! Eu sempre quis ler Anna Karenina, mas como a edição da Cosac Naify é a única traduzida diretamente do russo por português e é um pouco salgadinha, acabei deixando em stand by. Sei que tem uma versão da década de 40 desse livro, com a Vivien Leigh, nunca assisti mas quem sabe vale a pena dar uma conferida. Guerra e Paz eu tenho, dois volumes pequenos mas com tantas folhas que devem ser equivalentes a uma floresta inteira. É da Cosac, e comprei numa promoção. O tamanho me mete um pouco de medo, mas tenho muita curiosidade. Tenho outro russo aqui em casa, Crime e Castigo que igual ainda não li. Guerra e Paz, eu vi o filme. É com a Audrey, e tem quase 3h e meia. Apesar de extenso, achei bonito. E essa mini série já está na minha wishlist! Um beeeeijo!

    • Reply Alessandra Araújo May 14, 2016 at 3:00 pm

      Oi Kaka, bem vinda ao blog! Pretendo ler o “Guerra e Paz” um dia, mas vai fazer um projeto a longo prazo, já que a obra é enooorme. Não sabia da versão com a Vivian Leigh, vou dar uma procurada. O da Audrey eu tenho o dvd e nunca assisti, acredita? Mas uma hora eu crio coragem. Obrigada por comentar. Beijos!

  • Reply Sonia May 23, 2017 at 8:19 pm

    Amo literatura russa recomendo a todos, comecei a ler faz uns 02 anos e de lá pra cá , me apaixonei.. Dostoiéviské é meu preferido, Recordação das Casas dos Mortos, os Demonios, Notas do Subterraneo, são fantásticas, e todos o demais, li todos..
    Maximo Górki maravilhoso, Almas Mortas de Nicolai Gogol, Anna Karenina , a Morte de Ivan Ilitch de Tolstoi, Terguniev e Antov são bons, mas perto dos monstros Dostovieski e Tolstoi, ficam um pouco abaixo.. Outros maravilhosos e imperdiveis Dr.Jivago de Boris Paternask , e o O Dom Silencioso . No inicio foi difcil me acostumar com os nomes, já que eles usam o nome, depois usam o sobrenome, mas nada que não se acostume.

    • Reply Alessandra Araújo May 26, 2017 at 12:00 pm

      Oi Sonia! Faz menos de 2 anos que comecei a ler literatura russa e ucraniana e tenho gostado da experiência. Mas tenho intercalado com outras leituras, ainda tenho um longo caminho a percorrer. Tenho vários livros na fila. Obrigada por deixar um comentário!

  • Reply Mikhail Bulgákov – O Mestre e Margarida – Um Novo Destino September 27, 2018 at 6:49 pm

    […] comparar dois livros tão diferentes, mas confesso que eu gostei muito mais desse livro do que de Anna Karenina (sorry, Tolstói!). Então, se você não tem paciência para encarar calhamaços e gosta de uma […]

  • Leave a Reply