Cotidiano

40tena em 35

July 31, 2020

Na semana passada, levei três filmes para revelar e eles ficaram prontos ontem. Lá fui eu toda serelepe para buscar e acabei voltando triste porque não saiu nada em um dos filmes e tinha umas fotos especiais nele… Enfim, vamos praticar a arte do desapego e falar do filme que funcionou. Essas fotos foram feitas no dia 11 de maio, durante a quarentena. Eu sei a data porque o dono do apê onde moro veio dar uma olhada num suposto vazamento que a vizinha de baixo disse que vinha daqui.

Ele chegou logo depois que terminei de fotografar no jardim do prédio e eu tive a maior trabalheira pra limpar a varanda. Vinha procrastinando essa limpeza porque sabia que ia dar bastante trabalho. O tal vazamento estaria vindo da varanda do meu apê, mas o cara fez um teste com água para ver se tinha algo entupido e não percebeu nada estranho. Só que a varanda estava suja de terra e ele pediu pra limpar porque ia entrar em contato com a administração do prédio e eles podiam encher o saco se vissem aquela terra. Se você achou que minha vida era só glamour, achou errado! (risos)

Bonitinho, mas ordinário

Ainda no tema falta de glamour ou expectativa versus realidade, vou falar sobre meu Doc Martens. Meu sonho de princesa era ter um Doc Martens. Realizei esse sonho há 6 anos quando fui para Los Angeles. Quando fui comprar, o dono da loja perguntou de onde eu e marido éramos e, quando respondemos que somos brasileiros, ele falou “eu tenho um cliente famoso do Brasil, talvez vocês conheçam”. Perguntamos quem era e ele disse que era o Supla e que ele sempre comprava os Doc Martens naquela loja. O problema é que meu-doc-martens-comprado-na-mesma-loja-que-o-Supla-compra me machuca MUITO. Por isso, ele está novo e fica guardado. Ele é tipo a neve: lindo na foto, um incoveniente na vida real.

Ah, a primavera!

O filme Agfa Vista 200 foi um brinde de um laboratório de Kiev e nem data de validade tinha na caixa, ou seja, eu não tinha a mínima ideia se ia sair alguma coisa. Adorei as cores dele e a granulação. Era um filme de 12 poses, então consegui gastar ele todo rapidinho. Estava esperando a primavera chegar pra ter mais luz e conseguir fotografar com ele. Já tinha um tempo que queria fotografar essa área comum do meu prédio e nunca me organizava pra fazer isso. Na quarentena resolvi colocar as ideias em prática.

Sigo lendo Nietzsche, falta pouco pra terminar.

Amélie na cama que ela escolheu

Não poderia faltar uma foto de gato neh? Essa cestinha fazia parte de um presente de amigo oculto que rolou no trabalho do meu marido em Kiev e a Amélie a adotou como cama. A cesta fica em cima da mesa de jantar, que é território dela. Essa é a cara dela de “não ouse tirar minha cama daqui”. Afinal, quem manda na casa é ela e Lola mesmo. Ah, as fotos na vertical serão postadas no meu instagram em algum momento.

Me contem aí se vocês também tiraram algum projeto do papel durante a quarentena. Uma hora eu posto as fotos do outro filme que levei pra revelar junto com esse. Que venha agosto!

You Might Also Like

4 Comments

  • Reply Gabi August 1, 2020 at 9:56 am

    Adoro esses posts Ale! Dizem tanto de você, da simplicidade da vida, do seu olhar… saudades de vc! Beijos

    • Reply Alessandra August 2, 2020 at 10:38 am

      Que amor de comentário, Gabi! Entre pés machucados e vazamentos a gente vai buscando beleza no cotidiano neh. Saudade de você também! :-**

  • Reply BA MORETTI August 13, 2020 at 6:49 pm

    eu amei as fotos (vale sempre lembrar isso) e doc martens é aquela coisa que no brasil a gente namora tipo ser adolescente e se imaginar casando com alguém muito famoso kkkcrying sem condições emocionais e financeiras.

    • Reply Alessandra August 14, 2020 at 10:28 am

      Pois é, casei com o Doc Martens e me lasquei hahahhahha

    Leave a Reply