Browsing Tag

Fotografia

Cotidiano

Melhor queimar que desaparecer

November 7, 2018

Esse post era pra ter entrado no dia das bruxas, porém não consegui editar essas fotos a tempo. Bom, estamos atravessando tempos sombrios, às vezes dou uma choradinha, mas minha mãe me ensinou foi cedo a engolir o choro. A dor e a raiva são ótimos combustíveis para a criação e eu já estava com a ideia desse ensaio na minha cabeça há tempos, mas resolvi colocá-la em prática no dia do segundo turno da eleição. Votei e voltei pra casa pra fazer essas fotos. A arte sempre me salva e eu sou trabalhada nas trevas desde criancinha. Já tem um tempo que estou meio enjoada dessas fotos clarinhas que venho fazendo, então todo esse contexto foi um ótimo pretexto para colocar essas ideias em prática.

No final de 2009, o CCBB de Brasília organizou uma exposição maravilhosa sobre Clarice Lispector e o folder da exposição tem essa foto dela na capa. Nessa mesma exposição tinha um vídeo da última entrevista que ela gravou em 1977, alguns meses antes de morrer. Hoje você pode assistir essa entrevista incrível  no YouTube. Assisti novamente recentemente e me identifiquei com a fala dela em vários momentos. Além de trazer informações, o folder é um caderninho de anotações. Um dia eu estava arrumando umas coisas em casa e encontrei esse folder com anotações de “A paixão segundo GH” que um amigo me deu de presente de aniversário em 2010.

Continue Reading…

Cultura, Viagens

Uma semana em Moscou – Museus

October 5, 2018

Comentei nesse post que Moscou não deixa nada a desejar quando se trata de museus e eu fiz questão de dar uma atenção especial para esse tema na hora de preparar meu roteiro. Sou rata de museus porque acredito que se aprende pra caramba numa simples visita. Esses são os posts que mais me dão trabalho de preparar e eu adoro escrever, mas são os que menos são lidos também. Esse é especialmente importante por conter informações muito relevantes para quem vai apertar o botãozinho da urna no próximo domingo porque aqui eu mostro o que a Rede Globo não mostra.

Como já tinha dito nesse post, o passado soviético é motivo de orgulho na Rússia e a conquista espacial é um dos destaques desses velhos tempos, então eu e marido fomos logo no primeiro dia visitar o Museu da Cosmonáutica. O museu é enorme (como tudo em Moscou), interessante, porém achei que deixa a desejar quanto às informações em inglês. Ele fica mais afastado do centro, mas vale a visita para quem se interessa pelo tema.

Continue Reading…

Cotidiano, Viagens

Saque do FGTS e um dia em Rotterdam

September 25, 2018

Comentei nesse post que a vida anda movimentada e que eu tive que ir ao Brasil para encerrar um ciclo da minha vida, mas lógico que não deu para resolver tudo lá por conta de burocracias, prazos e blábláblá. Então, tive que fazer o processo para o saque do FGTS por um consulado. Ainda bem que tem essa opção para quem mora no exterior neh? \o/ Como não tem nenhum consulado no leste europeu onde dê para fazer esse processo, tive que viajar de novo para resolver isso e foi assim que fui parar em Rotterdam no início do mês passado.

Claro que eu e marido aproveitamos essa oportunidade para passar um fim de semana em Amsterdam, já que tem voo direto de Kiev e de lá é só pegar um trem para ir para Rotterdam, cidade que a gente ainda não conhecia. Visitamos a Holanda em 2016 e ficou aquele gostinho de quero mais e agora tínhamos o pretexto perfeito para voltar.

Continue Reading…

Cotidiano

Registros Analógicos

September 12, 2018

Fotografar com filme é uma experiência completamente diferente de fotografar com câmera digital e há algum tempo a saudade dessa experiência bateu em mim e eu resolvi colocar um filme na câmera e ver no que ia dar. Meu amor pela fotografia está muito ligado à fotografia analógica porque ele nasceu quando eu comecei a fotografar com a Olympus Trip 35 em 2007 (contei melhor nesse post aqui). Eu não fotografava com câmera analógica há MUITO tempo e não sabia se ainda lembrava como era mexer em tudo. Resolvi pegar uma câmera sem fotômetro só pra ser mais emocionante mesmo e claro que várias fotos saíram superexpostas.

A câmera usada foi uma Ricoh 35 ZF que tem um funcionamento similar ao da Olympus Trip 35, especialmente em relação ao foco que você meio que tem que adivinhar a distância do que você quer que esteja no foco. Esse é outro ponto que eu errei bastante e perdi algumas fotos. Mas faz parte de toda a experimentação e o fato de não ter um foco cravadão, é algo que me atrai bastante nessas câmeras porque contribui muito pra essa estética meio de sonho que eu procuro na hora de criar imagens.

Continue Reading…

Cotidiano

Ensaio That Gum U Like

August 28, 2018

Que cinema e música são uma grande inspiração e referência para as imagens que crio acho que não é novidade pra ninguém, até porque elas já foram várias vezes comparadas ao trabalho do cineasta Wes Anderson. O mais interessante é que o trabalho dele nunca foi uma referência consciente pra mim, mas claro que fico lisonjeada com a comparação, já que ele tem uma grande preocupação estética e sabe trabalhar muito bem com as cores, as simetrias e o lúdico, elementos que eu uso bastante também.

Outro elemento que eu busco na hora de editar as fotos, é dar um clima de sonho. E se tem um cineasta que trabalha muito bem essa temática, esse cara é o David Lynch. Quando fiquei sabendo que meus amigos estavam com esse projeto musical todo trabalhado em Twin Peaks, imediatamente eu quis fazer um ensaio com eles, pois teria liberdade para trabalhar minha criatividade, coisa que não posso fazer com os clientes (preciso ser mais “quadrada”). Resolvi colocar as fotos numa sequência que fizesse sentido para explicar o processo criativo por trás delas. Algo parecido com o que eu fiz nesse ensaio de 2014.

Continue Reading…

Cotidiano, Cultura

Tudo se Ilumina – Jonathan Safran Foer

May 14, 2018

Esse post não é uma resenha sobre esse livro, mas um relato sobre a minha experiência de leitura. Demorei um bocado para terminar de lê-lo porque ele é extremamente metafórico e eu não estava com a minha capacidade de abstração completamente liberada. Apesar disso, ainda consegui captar bastante coisa. Insisti na leitura porque não gosto de abandonar livro, mas isso mudou graças a essa leitura. Desconfio que talvez seja exatamente esse um dos efeitos que o Jonathan Safran Foer quis causar no leitor.

“Tudo se Ilumina” é o primeiro livro dele e foi resultado de uma viagem que ele fez para a Ucrânia com o intuito de expandir sua tese, após a conclusão da licenciatura em Filosofia. Ele também escreveu “Extremamente Alto e Incrivelmente Perto” (também adaptado para o cinema) e “Comer Animais”. O cara tem um talento e uma sensibilidade incrível com as palavras. Ele consegue construir umas metáforas belíssimas. Só lendo mesmo pra entender.

Continue Reading…

Cotidiano

O ano sabático

May 11, 2018

Comentei nesse post que tenho pensado muito sobre o tempo. Quando me mudei pra Ucrânia, vim muito feliz porque finalmente teria tempo. Enquanto morava no Brasil, eu sentia que estava sempre correndo contra ele, trabalhando e estudando pra concursos. Nunca sobrava tempo para fazer coisas que realmente gosto e fazem sentido pra mim. Eu não sentia que estava vivendo, só me sentia viva quando estava de férias. A fotografia, que era minha válvula de escape, estava abandonada. Comecei a ler um livro em 2012 e só consegui terminar de ler aqui, em 2015! Sei que sou uma pessoa lenta e o estilo de vida corrido não combina comigo, definitivamente. Eu vivia cansada e me sentia muito errada porque estava tentando acompanhar um ritmo que não era o meu. Eu precisava de uma pausa, do tal “ano sabático”. Só aqui tive tempo para me autoanalisar e percebi que estava me desrespeitando, tentando ser alguém que eu não sou para atender as expectativas dos outros e isso estava me fazendo mal.

Muita gente me perguntava “mas o que você vai fazer?” e cada hora eu respondia uma coisa. Muitas pessoas consideram que alguém só está fazendo alguma coisa se estiver num trabalho convencional. E não, esse tipo de atividade não é uma possibilidade pra mim na Ucrânia, muito menos uma vontade. Pra quê essa pressão de ter que estar fazendo um trabalho convencional? Eu super feliz que a vida me deu essa oportunidade de não precisar trabalhar e o povo querendo que eu trabalhe! Eu sou do time do Jaiminho (do Chaves), evitando a fadiga sempre.

Continue Reading…

Cotidiano

Três anos de blog (O Tempo Voa)

March 13, 2018

Em outubro do ano passado esse amado blog completou 3 anos de existência. Algumas coisas levam tempo para fazer sentido e só agora me caiu a ficha do quanto foi importante criá-lo. A princípio, era só um lugar para registrar minhas experiências e aprendizados como expatriada, mas acabou se tornando um projeto. Evoluí bastante fotograficamente nesses últimos 3 anos, além de ter evoluído como pessoa também. Não costumo divulgar o blog e a maioria das pessoas que conheço na vida fora da internet não costumam acompanhar o conteúdo que crio para ele. Foi uma grande surpresa ver que pessoas que não conheço pessoalmente se interessam pelo que posto e isso me intriga.

A internet é esse lugar onde acontecem muitas coisas ruins e muitas coisas boas também e tudo isso vem transformando nossas vidas, não é muito doido? Gosto muito de psicologia e fico sempre tentando entender a razão dos comportamentos humanos. Pelo feedback que recebo aqui, percebi que a maioria das pessoas que acompanham o blog são do sexo feminino. Não costumo escrever sobre temas considerados femininos e fico me perguntando o que exatamente atraiu vocês? Foi a vida de expatriada? Foi a Ucrânia? Foram as fotos? É o jeito que eu escrevo? Não sei a resposta.

Continue Reading…

Cotidiano

Vamos falar sobre fotografia?

July 20, 2017

Vejo que o blog tem atraído pessoas que gostam de fotografia, então achei que seria um assunto pertinente para conversar com vocês. Primeiramente, preciso agradecer à Ana que me incentivou a postar esse ensaio aqui. Nós batemos um bom papo sobre fotografia e desse papo surgiu a ideia para esse post. Essas fotos foram feitas em 2014, um pouco antes de me mudar para a Ucrânia porque eu decidi que me dedicaria mais à fotografia quando viesse para cá, já que aqui teria algo que não tinha em Brasília: tempo. Por falta de tempo fiquei 4 anos quase sem pegar na câmera, fotografando só quando viajava de férias.

Na época eu editava muito pouco as minhas fotos e não fiquei feliz com esse ensaio porque não consegui chegar aos tons que eu queria, simplesmente porque eu não sabia mexer no Lightroom muito bem. Ao longo desse tempo morando aqui, aproveitei para aprender mais com os milhares de tutorais que existem agora no YouTube e observando muito o trabalho de outros fotógrafos. Criei o blog também para me forçar a fotografar e se vocês pegarem os posts do início, vão perceber que as fotos são completamente diferentes. Pois bem, levou mais de dois anos para eu conseguir encontrar meu estilo e fico feliz por vocês estarem sempre por aqui e elogiarem as fotos, pois isso me motivou a melhorar e continuar na busca por um estilo próprio.

Continue Reading…

Viagens

Road Trip Alemanha – Frankfurt (Parte 2)

May 23, 2017

No último dia em Frankfurt, fomos ao museu MMK1 para ver a exposição chamada “Tomorrow must not be like yesterday” da fotógrafa Claudia Andujar com fotos feitas no Brasil. Descobri essa exposição quando fomos visitar a exposição do René Magritte no Schirn Kunsthalle que fica a alguns metros do MMK1. Quando li o nome dela pensei “já ouvi falar dessa fotógrafa…”. Entrei no site do museu e minha suspeita foi confirmada e foi assim que fomos parar lá no dia seguinte. Quem acompanha o blog já deve ter percebido que adoro visitar exposições de fotografia quando viajo e elas sempre me deixam muito inspirada. Claudia (#sentalaclaudia) nasceu na Suíça, mas foi morar no Brasil em 1955. Sem falar português, ela percebeu o poder da imagem como linguagem universal e encontrou na fotografia um meio de comunicação com o outro. Alguma dúvida de que eu me identifiquei MUITO com isso?

Seu trabalho tem estreita conexão com a história recente do Brasil, seus constrastes e conflitos. As fotos dessa exposição são resultado das viagens que a fotógrafa fez entre São Paulo e a região Amazônica e elas criam um panorama do Brasil fazendo o contraponto entre a cidade grande e a natureza. No caminho para o museu fiz a foto abaixo da capa de um livro em uma vitrine. Inclusive, eu não conhecia esse fotógrafo e descobri que o trabalho dele é maravilhoso, clique aqui para conferir. Nada maus dar de cara com uma foto feita na minha cidade natal enquanto caminho casualmente por uma cidade da Alemanha.  Dá um orgulhinho, sabe? Em Cologne aconteceu um momento como esse enquanto batíamos um papo com os guias do free walking tour, pois um deles sabia altas informações sobre Brasília sem nunca ter pisado lá.

Continue Reading…